sábado, 27 de agosto de 2016

Aquilani: um senhor na hora da despedida!


O Sporting acordou a saída de Aquilani da equipa. Era natural percebendo os últimos desenvolvimentos e compreendendo o que Jorge Jesus entendia ser o contributo do jogador italiano para a equipa. Mas Aquilani tem mercado, principalmente em Itália, e o Pescara garantiu o seu concurso.

Quando Aquilani chegou ao Sporting acreditei profundamente que era um jogador vital para um balneário como o nosso. Trazia experiência, qualidade técnica e táctica, sabedoria, uma presença importante para os mais novos, um figura de respeito.

Infelizmente no campo tivemos pouco proveito. Ainda assim, foi no Sporting que Aquilani teve o melhor aproveitamento quando comparamos os minutos em campo e os golos marcados.
Marcou 5 nos 1.595 minutos que jogou, ainda fez duas assistências, melhor média que na Roma, Fiorentina, Triestina, Juventus, Milan ou Liverpool. Pouco? Claro. Daí que o destino estivesse traçado há muito!

Podemos discutir se a transferência foi boa ou má, se com esse dinheiro podíamos ou não ter conseguido melhor, não me parece, com toda a certeza, que tenha havido má fé nesta contratação. Claramente era uma entrada que poderia ter tudo para correr bem, mas não foi ao encontro das nossas expectativas, especialmente dentro de campo.

Já fora dele, não tenho dúvidas que Aquilani foi vital no nossa balneário e ontem, na hora da despedida, a forma como se dirigiu aos Sportinguistas é digna de alguém que merecerá da nossa parte o nosso eterno respeito.

Boa sorte Aquilani para os desafios futuros, que tudo te corra bem excepto contra o Sporting!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Queremos ou não que o Sporting seja um grande clube, tão grande como os maiores da Europa?


Há coisas em relação ao sorteio da Liga dos Campeões que eu não compreendo. 

Durante a época desportiva os adeptos de futebol, principalmente dos três grandes, percebem e entendem a importância da Liga dos Campeões e de estar presente na fase de grupos. É incrível!

Luta-se no campeonato para conseguir ser campeão, que é a melhor forma de entrar directamente na Liga dos Campeões, depois tenta-se, se esse objectivo falhar, ir pela via do segundo lugar na competição nacional, que também tem dado o acesso directo e em desespero tenta-se marcar presença na maior competição de clubes pela fase de qualificação. O importante para o que vou dizer a seguir é estar presente.

O primeiro grande momento da Liga dos Campeões, para quem já está apurado para a fase de grupos, é o sorteio. Pompa e circunstância, jogadores convidados para abrir as bolas com os papéis mágicos. Antes, qualquer adepto faz as suas previsões. Ou porque gosta de um dado clube, de um estádio ou um fetiche qualquer, mas é, ou deveria ser, um prazer enorme perceber que em nossa casa, Alvalade, três grandes jogos europeus podem acontecer.

O sorteio de hoje ditou que o Sporting ficasse, provavelmente, no grupo mais complicado com o líder do ranking da UEFA, Real Madrid, o sétimo classificado, o Dortmund, e o septuagésimo oitavo, o Legia de Varsóvia. Por comparação com o Benfica que ficou com o 18º, 23º e 60º, e o Porto com o 98º, 47º e 73º!

Foi o "deus no acuda" nas redes sociais!

A sério que não consigo perceber onde é que seria melhor jogar com Bruges ou Ludogorets, por mais respeito que tenha por estes clubes. Vá lá, apanhar um deles ainda compreendo, agora quando estamos na Liga dos Campeões queremos jogos europeus, com os melhores jogadores em campo que esta Europa tem possibilidade de ver, nem por acaso, o melhor jogador da última Liga dos Campeões, e formado por nós, vai-nos visitar com o seu todo poderoso Real Madrid.

Há a possibilidade de visitar o Signal Iduna Park e encontrar aqueles que serão os segundos melhores adeptos do mundo. E depois recebê-los no nosso Estádio e mostrar-lhes o "O Mundo Sabe Que" e a paixão que aplicamos naquele momento.

O grupo é complicado e as nossas possibilidades de qualificação são reduzidas, mas não façamos já o papel de calimero que tantas vezes criticamos nos comentadores televisivos e pensemos que estamos na melhor competição do mundo de clubes e que é ali que se cresce para voltar à ribalta do futebol europeu.

Se querem facilidades, em desespero, peçam ao JJ para ficar em quarto lugar e vamos para Liga Europa jogar com os Skenderbeus da vida e ainda assim com exibições miseráveis passamos à fase seguinte, ou então peçam ao Bruno para dar lugar ao Godinho e nem lá metemos os pés.

Queremos ou não que o Sporting seja um grande clube, tão grande como os maiores da Europa?

O Sporting está no grupo F da Liga dos Campeões 16/17


O sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões aconteceu há minutos e ditou o seguinte alinhamento para o Sporting no grupo F:

Sporting
Real Madrid
Borussia de Dortmund
Légia de Varsóvia

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Adeptos únicos e comprometidos com o Sporting!


Em Dezembro de 2010 o Sporting perdia 2-1 contra o Vitória FC treinado por Manuel Fernandes. Um jogo desastroso, o Presidente era José Eduardo Bettencourt e o nosso treinador era o Paulo Sérgio.

Nesse dia, depois de escrever o texto do jogo neste blogue, o que eu queria mesmo era a demissão do treinador e do Presidente do Sporting. O fim da linha estava próximo, mesmo de alguém que ainda cheguei a equacionar ser possível re-erguer o Sporting.

Foi por essa altura que se começou a ouvir um termo como "Belenensização do Sporting". Com o maior respeito que o Belenenses me merece. Relembro coisas que eram escritas por aqui nas caixas de comentários quando não havia 1/5(!) da acção da blogoesfera/redes sociais que há hoje:

"DEMITAM-SE! E nós façamos para que isso aconteça!"

"Ser do Sporting com esta estrutura, é e sempre será sinónimo de SOFRIMENTO e ANSIEDADE!"

"Vão construir o tão necessário Pavilhão para as modalidades?"

"não sei qual vai ser o futuro do Sporting."

"e o que as más línguas diziam alguns anos atrás sobre a belenensizaçao do Sporting, e eram apedrejados por dizer "barbaridades" dessas que tal não era possível, basta agora olhar para um jogo do Sporting e o estado em que se encontra o futebol deste clube"

"Não há dia do julgamento para esta gente? Não vamos de uma vez por todas devolver o Sporting aos Sportinguistas"

"está na hora de dizer BASTA"

A certa altura da minha vida como Sportinguista cheguei a pensar e a discutir com amigos, de todos os clubes, que estava preocupado que isso viesse mesmo a acontecer. Sou sincero, na altura tinha muito medo só de perceber que o Sporting poderia caminhar para o abismo. Não digo acabar, mas tornar-se irrelevante no contexto nacional.

Mas nunca nos "Belenensizamos".

E porquê?

Nem de propósito, hoje foi revelado um estudo da Universidade Europeia em parceria com o Sapo Desporto onde coloca os adeptos do Sporting como "os adeptos mais comprometidos com a sua instituição desportiva".

Os adeptos do Sporting são os "mais ‘ferrenhos’ em Portugal" à frente dos adeptos do Benfica e Porto.

É sem dúvida neste amor próprio que temos pelo clube, sem nunca desistir da nossa paixão, lutando contra os impossíveis que a vida desportiva (e financeira) nos vai colocando na frente, que o clube, com base nos seus adeptos foi capaz de acreditar, sempre, que era possível retirar o Sporting de um possível abismo.

Não se confunda com o facto de ser esta ou outra direcção, nem é isso que me interessa salientar, o importante é a nossa capacidade para nos adaptarmos a novas realidades sem desistir de um amor inconfundível para com o clube.

Ainda não regressamos aos títulos, os que interessam, mas estamos hoje em dia mais fortes e unidos que nunca em torno do Sporting, do futebol às modalidades.

Pelo menos essa batalha foi ganha!

domingo, 21 de agosto de 2016

Paços de Ferreira 0-1 Sporting :: tanto sofrida quanto justa!


Primeira grande deslocação do Sporting no norte do país e os primeiros três pontos conquistados num tradicional complicado campo. Mar de gente verde que encheu as imediações do Estádio da Mata Real e que se traduziu num apoio inequívoco à equipa orientada por Jorge Jesus.

Por esta altura no ano passado, também à segunda jornada, tinham ficado dois pontos pelo caminho, em Alvalade, contra o mesmo Paços de Ferreira. Ontem, porém, não sei se fruto do amarelo Colômbia que a equipa da casa usou, tudo foi diferente e o Sporting nunca viu colocada em causa uma vantagem que, apesar de tudo, não foi fácil conseguir.

Jorge Jesus pouco alterou na equipa que entrou em campo para garantir a segunda vitória. Slimani foi a entrada natural, Bruno César a aposta na esquerda, Gelson na extrema direita onde João Pereira mantém a titularidade relegando Schelotto para o banco. 

O Sporting entrou dominador, com muita posse de bola mas a denotar alguma falta de velocidade. Os processos ofensivos ainda são algo lentos, Alan Ruiz com alguma dificuldade na forma como tem de interagir com os extremos e com o homem mais avançado, mas foi dele o primeiro sinal de perigo aos 5 minutos.

Na frente que ataque há, ainda, muito trabalho para fazer. Notou-se ontem claramente pois a equipa leonina terminou a primeira parte com 10 remates, mas apenas 4 a serem enquadrados. Num desses remates enquadrados, depois de uma tentativa de Slimani evitar que bola saísse pela linha de fundo, esta é colocada em Bruno César que assiste Gelson na área, de cabeça, o jovem jogador coloca em Adrien Silva e o campeão da Europa domina a bola e com uma remate colocado faz o primeiro e único, golo do jogo.

Ao intervalo a vantagem justificava-se completamente.

A segunda parte começa com o mesmo desígnio que a primeira. Rapidamente percebeu-se que era necessário marcar o segundo golo para não dar qualquer hipótese à equipa da casa. Foi precisamente aqui que residiu o problema. Apesar da posse de bola ser completamente esmagadora para o Sporting, só aos 60' é que a nossa equipa teve uma verdadeira, e escandalosa, oportunidade de golo que "mataria" a partida. Slimani, no entanto, não conseguiu emendar após assistência de Gelson.

Entretanto, JJ começava a mexer na equipa com as entradas de Marvin e Mané. Curiosamente a primeira, que dita a saída de Alan Ruiz, fez com a equipa abdicasse praticamente de atacar e até ao final o Sporting foi controlando a acções do Paços de Ferreira, possível pelas fantásticas exibições de Coates e Semedo que não deram quaisquer tipo de hipóteses aos jogadores do Paços. Os três pontos assentaram no rigor defensivo com que o Sporting entrou na Mata Real.

A vitória do Sporting não oferece contestação, importantíssimos 3 pontos para nos colocar no primeiro lugar a uma semana de receber o Porto, com os mesmo pontos que nós, para o primeiro grande clássico de 16/17.

Aproveito para lembrar os amigos do Norte do País que o Solar do Norte, o Núcleo de Vila de Conde e tantos outros já têm as reservas on-line para o comboio verde que vai no domingo a Alvalade. Vamos!



terça-feira, 16 de agosto de 2016

As recusas dos ex-Presidentes no processo da auditoria!


Durante muito anos, ainda antes de Bruno de Carvalho chegar ao clube, ou até estar em campanha eleitoral, se falou da realização de uma auditoria às contas, e não só, do Clube/SAD. Vamos recuar no tempo e falar sobre os primórdios da gestão de Roquette.

Não sou dos que critico cegamente o trabalho realizado pelo ex-Presidente no Sporting. Na altura, tenho bem presente muitos escritos, noutros blogues e projectos que fiz parte, as qualidades como gestor, a capacidade de introduzir a vertente profissional na gestão de um clube, uma certa regulamentação ao nível das finanças, no fundo, dotar os clubes para uma era moderna. Não é a altura de discutir se o fez bem ou mal, teve algum sucesso desportivo, é de assinalar porque foi, provavelmente o maior dos últimos 30 anos, mas também foi com o seu mandato que se iniciou aquilo que mais próximo conseguimos encontrar num clube com a monarquia. As eleições eram apenas um pormenor.

O clube, bem ou mal, foi avançando e, como todos bem sabemos, modernizou-se, criou condições que todos reconhecemos como muito boas, estádio e academia, com alguns problemas, sendo que um deles é grave, a falta de pavilhão, e financeiramente entramos numa espiral que só mais recentemente começamos a dar sinais de possível retorno. Este sempre foi um problema do Sporting, viver acima das suas possibilidades.

Passamos por uma dinastia de Presidentes que começou em Roquette e terminou em Godinho Lopes, e foi este último a deixar no ar um conjunto de acções e dúvidas que acentuou o crescente pedido dos sócios para uma auditoria de gestão. Abrindo, obviamente, um precedente. Diria que um precedente positivo.

Bruno de Carvalho em 2013, no programa eleitoral, falava sobre a auditoria no ponto 59, "Auditoria de Gestão. Uma das primeiras medidas depois das eleições será fazer uma auditoria de gestão ao Sporting Clube de Portugal e à Sporting SAD".


Assim foi. A auditoria de gestão foi efectuada. Pasme-se que ainda há adeptos do Sporting que criticam algo que foi prometido e cumprido. Talvez não devessem estar habituados a tal disciplina. Ainda por cima, uma auditoria é um procedimento tão natural nos dia a dia de qualquer empresa.


Recordo que em AG foram apresentadas algumas conclusões dessa auditoria, muito poucas, como por exemplo, mas preocupantes:

- o valor exagerado da construção do estádio José Alvalade, que começou num determinado montante e terminou num aumento inflacionado do seu valor inicial;

- na passagem do Godinho Lopes da Somague para Vice-Presidente do Sporting num processo que foi desbloqueado com essa mudança táctica;

- no diferencial do custo da obra da Academia do Sporting;

- no negócio da venda de terrenos do Sporting à MDC por Diogo Gaspar Ferreira, ex-director do Sporting que depois foi para a MDC, e que será também objecto de um pedido de expulsão;

- da dívida do Sporting que em 1994, no tempo de Sousa Cintra e com auditoria, era de 600 mil euros e no final do mandato de Godinho Lopes era de 283 milhões de euros;

- da indemnização milionário a Rui Meireles de 510 mil euros quando saiu do clube e por aí fora.

Os documentos da auditoria, dada a sua complexidade, estão disponíveis em Alvalade para consulta com regras muito específicas.

Não quero deixar de fazer uma pequena crítica ao processo de auditoria que decorreu no Sporting. Deveriam ter sido ouvidos os intervenientes durante a realização da mesma, ainda assim, não sei se há regras para este tipo de processo e portanto, não creio que isto possa ser levado para o campo da indignação como aconteceu com Godinho Lopes ou Dias da Cunha.

A auditoria não foi feita por Bruno de Carvalho e costuma-se dizer que "quem não devem, não teme". A auditoria, algo normal, como digo em cima deve ser vista como uma ferramenta que nos ajuda a compreender os erros do passado para os evitar no futuro. Claro que se houver erros passíveis de qualquer tipo de processo, estes devem avançar pelas vias legais. E isto é válido para Godinho Lopes ou Bruno de Carvalho.

Por isso, estranho a notícia que hoje ficamos a conhecer, que os visados na auditoria, e os principais interessados, auditoria que foi promessa eleitoral cumprida pelo actual Presidente do Sporting, tenham recusado falar e estejam a declinar o convite para serem ouvidos por uma comissão interna do clube.

Sinceramente, num processo que deve ser o mais natural possível, é estranhamente artificial a reacção dos ex-dirigentes do Sporting Clube de Portugal. Num momento em que se pedia clareza e naturalidade para perceber os anos e anos de actos de gestão anormais no clube, continua-se a preferir o caminho escuro da incerteza. É triste e desolador que não se consiga aceitar que uma promessa, efectuado e com sentido, possa ser um instrumento credível para que no futuro não se cometam os mesmo erros que levavam o Sporting a fechar as portas!

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Bravo André!



"Tenho pena, porque o Sporting é um clube que sempre gostei, é o clube do meu coração. Foram 14 anos e claro que preferia ter ficado, mas a nossa vida é assim. Se calhar a culpa também foi minha, mas não só. As coisas são mesmo assim, tudo aconteceu naturalmente. Não saio com mágoa".

Há muito que o tempo de André Martins no Sporting tinha passado. A saída, na minha opinião, até peca por tardia. O jogador merecia procurar um outro clube em que pudesse ser presença habitual em campo. No Sporting, de Leonardo, Marco e agora de Jorge Jesus, era quase impossível fazer parte do 11 titular. Em Maio de 2012 ainda acreditei, porém, que poderia ser a sua última oportunidade de mostrar o que valia para um clube que pretendia inverter o rumo que seguia até então.

Não foi possível. André Martins foi perdendo espaço, até desaparecer por completo e se perceber que estava na altura de procurar um novo clube. Aconteceu neste defeso onde avança para a Grécia e encontrará Paulo Bento no Olympiacos. Muita sorte neste novo desafio!

No entanto, há algo importante a dizer sobre André Martins. Sempre respeitou o clube. Sem jogar, sem críticas fáceis em jornais, um profissional como poucos neste futebol moderno. Por isso, as declarações que ele hoje fez sobre o Sporting, a sua carreira de futebolista, são de um brilhantismo e sinceridade muito raros hoje em dia.

André Martins mostrou qualidades pouco acessíveis a muitos dos melhores jogadores do mundo. Pode não o ser em campo, mas fora dele, tiro-lhe o chapéu. Bravo André!

sábado, 13 de agosto de 2016

Sporting 2-0 Marítimo :: começar a vencer!


Começou a época 2016/17 com uma vitória clara e justa do Sporting diante do Marítimo por 2-0.

Vamos recuar uns dias e umas semanas. A pré-época do Sporting em termos de resultados desportivos não foi a melhor. Criou-se um ambiente negativo, colocou-se em causa os adversários e a valida deles, por ser tão elevada, criticaram-se jogadores novos com meia dúzia de minutos e sem quase oportunidades de mostrar o que valem, inclusive, nos últimos dois encontros diante do Bétis e Nice. Vi e li Sportinguistas a dizerem mal de tudo e todos, Jorge Jesus incluído, porque, a jogar assim não iríamos longe. Um autêntico festival de barbaridades!

Sabemos, acima de tudo, as nossas lacunas. Estão identificadas e são: um ponta de lança e um defesa esquerdo. Principalmente estas. Até ao final de agosto tudo pode acontecer e quando há jogadores muito cobiçados, o Sporting tem de estar preparado para tudo. Jorge Jesus então, habituadíssimo a estas andanças, pois no Benfica reconstruía a equipa todos os anos. Haja alguma paciência, o mercado ainda não fechou.

Chegamos às 18h15 e o primeiro onze titular do Sporting estava sem Schelotto e Marvin. Para mim, em ambos os casos, incompreensível, mas principalmente pelo Ezequiel que, não sendo um extraordinário lateral direito, é dos melhores da nossa Liga e tinha feito bons jogos de pré-época. Estranhei a decisão, mas, como também costumo dizer: o JJ lá sabe!

O Sporting entrou forte, instalou-se rapidamente no meio campo do Marítimo e aos 12' o primeiro lance de perigo por Alan Ruiz com o remate a sair à figura de Gottardi. Logo de seguida João Mário sozinho na grande área falhou nova oportunidade.

O Marítimo demorou a entrar na partida, mas quando o fez quase marcava. Valeu Rui Patrício com uma grande defesa ao remate de Babá. Cada dia que passa mais me convenço que devíamos fazer um contrato vitalício com o nosso guardião!

Mas, não nos deixamos intimidar e na sequência de um canto, assiste João Mário, Coates de cabeça inaugura o marcador e faz o primeiro do Sporting 16/17 e o seu primeiro ao serviço do clube. Coates, relembro, o tal que vi muita gente falar da sua má pré-época. 

Não demorou muito até que o Marítimo voltasse a assustar a baliza de Rui "Siiiii" Patrício. Uma perda de bola de Alan Ruiz, no lado direito da defesa, com João Pereira muito subido no terreno, relva e barra. Os jogadores insulares nem acreditavam como não tinha entrado a bola.

O Sporting fecha a primeira parte com uma excelente triangulação entre Adrien, Alan Ruiz a amortecer para João Mário que em jeito tentou aumentar a vantagem.

Intervalo, fomos dominadores com 21 ataques, 9 remates, 1 golo, 61% posse de bola, mas, é um facto que o Marítimo teve ao seu alcance o golo do empate com duas oportunidades muito claras!

Jorge Jesus não demorou a mexer e tirou Jefferson para entrar Bruno César. A segunda parte foi praticamente dominada pelo Sporting. Entramos bem com remate cruzado de Gelson, depois João Mário a falhar duas vezes, Coates sozinho em frente a Gottardi atirou à figura, até que aos 60' Bryan Ruiz marcou o segundo golo do Sporting.

Com a diferença em dois golos, estava praticamente garantida a vitória. Houve tempo ainda para um livre ensaiado aos 77' que resultou num excelente remate de Adrien Silva.

Alvalade registou uma excelente assistência: 42.577. E foi perante esta moldura humana que João Mário foi substituído por Bruno Paulista, a ovação ao campeão europeu e melhor em campo no jogo de hoje soou a despedida, até pelos inúmeros cumprimentos no banco de suplentes.

E foi nesse banco que se viu Barcos. Aliás, ainda no início de jogo vimos o jogador que está de saída a cantar O Mundo Sabe Que, Beto também foi apanhado, e só terá estado hoje no jogo, como suplente, por precaução. Felizmente não foi preciso.

Nota final para o minuto de silêncio respeitado de uma forma fantástica em memória de Mário Moniz Pereira, de Dário, a quem William entregou a sua camisola à Torcida Verde, e das vítimas da Madeira.

"Adversários em campo, unidos na dor, força Madeira", lia-se bancada da Brigada!