segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Nem milionário, nem compra tudo e todos!


"O actual presidente do Sporting fez uma política de austeridade durante dois anos, e bem, e agora inverteu-a completamente. Parece um clube milionário a comprar tudo e todos"

Bem sei que o Jaime Antunes é um pessoa com pouco credibilidade. Mas é um voz que gosta de se ouvir e ecoar nos principais órgãos de comunicação social. Esta frase dele, sobre o Sporting, tem sido veiculada de forma quase natural, ora por ele, ora por outros que nem ao trabalho se dão de tentar perceber como as coisas têm sido feitas.

Vamos por partes. 

Efectivamente o Sporting teve de fazer uma política de austeridade nos primeiros dois anos. Era irreversível o caminho que estava directamente associado à reestruturação financeira, que era necessário colocar em marcha. Assim foi!

Depois inverteu-se a política de contratação? Não. O Sporting reduziu o seu orçamento, mais importante foi reduzir um conjunto de despesas supérfluas, equilibrando-se do ponto de vista financeiro. O que Bruno de Carvalho fez nesta terceira época, com alguma folga na SAD, como tem vindo a demonstrar os R&C, foi investir um pouco mais na qualidade a contratar, ainda assim, como tem sido possível observar, alguns jogadores vieram a custo zero ou quase e os ordenados são sempre o ponto de entrave para a finalização do negócio com o Sporting.

Parece um clube milionário? Um conta simples: a receita da época 15/16. O Sporting gastou 7,9 M€, vendeu 11,6 M€, o que dá uma receita de 3,75 M€. Nada mau. Se isto é um clube milionário...

Já dá para pagar um ano ao JJ!

domingo, 2 de agosto de 2015

Sporting 2-0 AS Roma :: troféu Cinco Violinos

foto: Carlos Rodrigues

O Sporting conquistou o troféu Cinco Violinos em Alvalade, no dia em que se apresentou aos sócios e adeptos leoninos, com toda a naturalidade. Naquele que foi o último jogo de pré-época, Slimani e Carlos Mané foram os autores dos golos.

A equipa que Jorge Jesus apresentou na primeira parte andará perto do 11 titular que na próxima semana defrontará o Benfica na Supertaça, sendo que Brian Ruiz e Téo Guitierrez ainda não estarão na forma desejada para começarem de início.

Boa surpresa continua a ser, para já, Naldo. Ao lado de Paulo Oliveira, os dois centrais têm feito um bom trabalho e serão, certamente, a dupla do eixo defensivo do Sporting que iniciará o jogo no Algarve.

Adrien Silva caminha para ser William Carvalho. Uma posição bem diferente da que habitualmente está habituado a jogar, mas, para já, tudo leva a crer que recuará um pouco mais, com João Mário a assumir o papel mais ofensivo no meio campo.

As dúvidas poderão estar nos extremos. Se Carrillo poderá ocupar o lado direito, já no lado oposto os próximos 8 dias vão ser decisivos para perceber quem irá ocupar essa posição. Na frente, ao lado de Slimani, poderá encaixar Montero, que está neste momento à frente da concorrência.

Por fim, uma nota muito importante para o pontapé de saída do jogo, um acto simbólico que foi protagonizado por Gabriel. Um jovem adepto do Sporting que lutou contra o cancro e que hoje concretizou um sonho. O futebol é feito de sonhos e hoje o jovem leão viveu, certamente, um dos seus!

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Pedro Proença é o novo Presidente da Liga de Clubes!


Podia estar a escrever sobre o sorriso que a vitória de Pedro Proença poderia provocar, sabendo que do lado dos derrotados estão Braga, que nem comentário me apraz fazer, e Benfica que, tem atirado para longe as discussões sobre a arbitragem, um tópico importantíssimo quando falamos de eleições na Liga de clubes.

Não considero que haja, propriamente, vencedores e vencidos nesta eleição. O futebol Português precisa(va) de um consenso grande para serem levadas a cabo decisões importantes para a sua melhoria e consequente valorização.

Claro que no plano particular do Sporting, Bruno de Carvalho tem sido bastante pro-activo na procura de soluções e melhorias para o futebol nacional. Concorde-se ou não com o sorteio, desde que chegou ao Sporting foi apresentado uma série de propostas que visam um outro tipo de profissionalismo numa actividade que tem tanto para melhorar.

O candidato Pedro Proença não era dos mais consensuais. Se por uma lado há o reconhecimento na arbitragem, dizem ser um dos grandes árbitros portugueses, e não foi só cá, por outro, há uma ligação nos últimos anos ao Porto, por exemplo, célebres aquelas manifestações de contentamento com certos jogadores e treinadores. 

Certo é que era o candidato que o Sporting apoiava na renovação do futebol português e que terá sido o nosso clube o dinamizador da sua candidatura que depois outros se colaram.

Há muito para discutir, por exemplo, o sorteio não era opção para Proença, o Sporting apoiava e votou favoravelmente esta medida. É altura de baixar as espingardas e, da mesma forma que Duque teve um mandato (curto) mas sem tempestades, dar o benefício de dúvida a Pedro Proença na apresentação e validação de melhorias para o futebol nacional.

Será que os clubes que votaram em Duque percebem isso?

domingo, 26 de julho de 2015

Sporting 2-0 Crystal Palace


O Sporting venceu o Crystal Palace por 2-0 na final da Cape Town Cup. Os golos foram marcados na segunda parte, por Fredy Montero que fez um bis no dia seu 28º aniversário.

Próximo jogo do Sporting e último antes dos jogos oficiais, a apresentação aos sócios e adeptos em Alvalade no dia 1 de Agosto diante da Roma.

1-0 de livre directo por Montero


2-0 por Montero com assistência de Slimani


sexta-feira, 24 de julho de 2015

Sporting 2-2 (4-2 após gp) Ajax Cape Town


O Sporting venceu o Ajax Cape Town na meia final da Cape Town Cup e qualificou-se para a final. No domingo às 14.30 irá defrontar o Crystal Palace.

O Sporting ao intervalo vencia por 1-0 com golo de Mané. A equipa local virou o resultado no decorrer da segunda parte e foi Rúben Semedo a empatar e a levar o jogo para as grandes penalidades.

Nas grandes penalidades, Patrício fez aquilo a que estamos habituados e defendeu duas grandes penalidades. Na verdade até foram três, mas repetiram.

Alguns apontamentos mais:

- 11 é o esperado, mesmo com André Martins atrás de Slimani;
- O equipamento alternativo do Sporting é lindo;
- Adrien começou como capitão da equipa.
- Octávio....foi Octávio, e quem viu sabe a que me refiro. Esteve bem!


Pedro Proença, o candidato do Sporting!


Pedro Proença anunciou a sua candidatura à Liga de Clubes concorrendo contra Luís Duque, que, tinha dito em tempos que se houvesse outro candidato não iria a votos.

Ficámos a saber que Bruno de Carvalho quando confirmou isso, de Duque, estava a dizer a verdade, e é interessante pois parte-se muito do princípio, principalmente por rivais e afins, que Bruno de Carvalho por vezes não diz bem a verdade (foi o próprio Duque confirmou isto na televisão).

Bruno de Carvalho ontem respondeu muito bem a Luís Filipe Vieira. O Presidente do Sporting que até tem estado muito calado, mostrou que LFV quando esteve com Pinto da Costa na solução Duque , era pelo futebol e pela sua harmonização, agora que supostamente Pinto da Costa está com a solução que o Sporting apoia, sim, há quem diga que o Porto é que não encontrou um candidato para apresentar, é uma "cabala" contra Duque. E a máquina de propaganda está a funcionar bem, veja-se a quantidade de textos a falar bem de Duque no jornal A Bola.

Alguns apontamentos sobre este processo:

- Não se vai falar do que é essencial para o futebol português, esta eleição vai ser apenas mais uma de "uns contra os outros", e é pena.

- Não gosto de ver Pinto da Costa "ao nosso lado", seria hipócrita se dissesse o contrário.

- O Sporting, pelo seu Presidente, tem tentado trazer sangue novo para o futebol português desde que está à frente do clube. Pedro Proença, considerado por muitos o melhor árbitro português de sempre, podia ser a face dessa alteração, não me parece, dadas as condições desta eleição, com uma divisão bem clara. Era preciso alguma unanimidade e é isso não irá existir.

- Duque, mesmo não tendo sido apoiado pelo Sporting, realizou um conjunto de acções importantes na Liga e isso é inegável. O regresso dos patrocínios, embora com a anterior direcção não tenha acontecido porque houve "dedinho" do governo, estabilidade directiva e portanto, nestes últimos meses o trabalho foi positivo. Mas isso não quer dizer que não se possa ainda melhorar mais, e o Sporting entende que Pedro Proença pode trazer essa mais valia. Quero ouvir mais Pedro Proença a falar e menos os Presidentes dos clubes que o apoiam.

Os próximos dias, a eleição é na quarta, deveriam ser passados a discutir as propostas de um e de outro e já agora, com um debate (ou mais) em que ambos, Proença e Duque, sem Presidentes de clubes, discutissem frente a frente o que pretende para a Liga nos próximos anos. Com seriedade e realismo. Temo que nada disso vá acontecer!

quinta-feira, 23 de julho de 2015

As finanças e o mercado de transferências, um longo caminho a percorrer!


Ainda não tinha tido a oportunidade de analisar o relatório e contas que o Sporting apresentou referente ao período de Julho de 2014 a Março de 2015.

Como está muito na moda, principalmente pelos rivais falar das contas do Sporting, volto ao assunto e abordo também o mercado de transferências. É um resultado muito bom e que mostra que o caminho seguido, do ponto de vista financeiro, que é apresentado neste relatório.

O Sporting apresentou um resultado operacional positivo de 22 milhões de euros. Há tempos no twitter perguntavam-me se acreditava nesse valores. Bem, no dia em que não acreditar nos R&C que o Sporting produz, muito mal vai o nosso clube. Mas percebo que a questão seja, também, como raio é que agora apresentámos resultados positivos consecutivamente.

Particularmente neste relatório é simples de verificar que o resultado positivo acontece por: 1) 10 milhões provenientes das competições europeias, 2) receitas de bilheteira que aumentaram, 3) aumento dos patrocínios e publicidade e 4) aumento das receitas dos direitos televisivos.

Claro que do lado da despesa, a política rigorosa que o Sporting tem seguido à risca também ajuda a este cenário positivo.

Mas, um facto muito importante que se vê neste R&C e que deverá acontecer mais vezes daqui para a frente e que poucos falam, é a descida do passivo em 46 milhões. Sabemos que aconteceu em grande parte nesta fase devido à reestruturação financeira, mas, terá de ser o caminho natural se queremos continuar com a independência financeira que aos poucos vamos adquirindo.

Por falar em finanças e porque nesta altura as entradas e saídas de jogadores ditam as regras do jogo, há ainda um longo caminho do Sporting a percorrer no que se refere a colocar a "máquina" a funcionar como deve ser no mercado de transferências de jogadores.

Analisemos o período temporal de 02/03, dados aqui, ano a seguir ao último título do Sporting até à presente época. O Porto é uma máquina demolidora no mercado que fez balançar positivamente entre o que compra e venda, com ganhos de 437 milhões de euros, o que dá um saldo positivo de 31 milhões de euros por época. O Benfica segue-se com metade do valor. Em 14 épocas o balanço é positivo em 222 milhões e só depois aparece o Sporting com uns míseros 65 milhões.  A distância para os dois grandes vencedores a nível interno é abismal.

Digo míseros, no balanço de comrpas/vendas, porque, e com o devido respeito ao Braga, estamos com apenas mais 3 milhões que o clube minhoto nestas últimas 14 temporadas. É pouco, muito pouco e que mostra bem o estado lastimoso na forma como abordámos o mercado e essencialmente pela falta de credibilidade, qualidade na promoção dos nossos activos e, obviamente, a falta de títulos que nos desvaloriza e muito face aos concorrentes. É, lá fora, muito diferente, ainda, comprar ao Porto/Benfica e ao Sporting.

Termino com uma nota em relação ao nosso clube, desde a época 02/03, recordo que é a época após o nosso último título de campeão nacional, até à entrada desta direcção, o Sporting apresentou um balanço positivo de 15 milhões de euros, menos que o Vitória SC. A partir de 13/14 até à corrente época, onde se inclui até ao dia de ontem, o balanço regista-se nestes três anos em 50 milhões positivos.

Sintomático. Mas há quem não queria ver isto!

terça-feira, 21 de julho de 2015

A histeria financeira que por aí vai!


Diria que estou com alguma dificuldade em perceber um certo histerismo de algumas pessoas em relação ao que o Sporting está a gastar nesta pré-época.

Vamos recuar um pouco.

O Sporting, antes desta direcção chegar ao clube, apresentava resultados operacionais negativos. Negociou-se a reestruturação financeira, foram tomadas medidas que causaram grande impacto no clube, assumiu-se que o clube não poderia fazer grandes investimentos. Assim foi durante dois anos e meio.

Entretanto, a situação financeira ganhou alguma folga. O Sporting não ficou rico, não encontrou petróleo, nem vai, certamente, e porque confio muito no trabalho de Carlos Vieira, investir o que não tem. Fazendo fé nas suas palavras, vão ser usados capitais próprios.
Obviamente que o Sporting não poderia continuar eternamente a desinvestir.

No ano em que, pelo que se vai lendo, o Benfica decidiu parar com determinados investimentos, lembraram-se todos de atirar umas "bojardas" para o ar, "ai que o Sporting está a hipotecar o futuro".

E andamos nisto há dois anos e meio com o Vale de...Bruno de Carvalho.

Primeiro foi com o ordenado de Jesus, que ninguém sabe mas tudo fala. Depois foram os jogadores, onde até Mourinho abriu a boca.
Só assim em contas à merceeiro, o Sporting gastou 7 milhões no que contratou e já vendeu perto de 10 milhões.

E os ordenados? Mantendo-se o limite rigoroso que até agora tem sido seguido, e até pelo tempo que demoram as contratações dá para perceber que as coisas são o que são. De qualquer forma, é óbvio que o Sporting este ano decidiu gastar mais. A qualidade é o que se procura e isso sai mais caro.

E nas modalidades? Dito na televisão, na AG onde foi apresentado o orçamento, o clube já tinha informado que iria fazer um investimento e com isso reforçar as diferentes modalidades com o principal objectivo de alcançar títulos. Simples!

Mas pronto, o que interessa é continuar a discutir-se as finanças do Sporting, já era assim no tempo do Godinho, quando os resultados eram negativos e continua a ser discutido nesta altura com alguma folga orçamental e ser certamente discutido quando outro Presidente tomar posse.

Estamos habituados e só há uma forma de responder: dentro de campo!