sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

Vitória SC - Sporting :: convocados

A única alteração na lista de convocados de Marco Silva é a entrada de Slimani para o lugar de Tanaka. Esperado este regresso do Argelino depois da pequena lesão que teve.

Convocados
Rui Patrício e Marcelo Boeck;
Cédric, Miguel Lopes, Paulo Oliveira, Maurício, Naby Sarr e Jonathan Silva;
William Carvalho, João Mário, André Martins, Oriol Rosell e Adrien;
Carrillo, Carlos Mané, Capel, Nani, Montero e Slimani.

A hipocrisia dos patrocinadores!


A hipocrisia é uma coisa terrível. Quando se falava da Macron como patrocinador do Sporting, o que grande parte dos adeptos queria, um patrocinador conhecido (Nike, por exemplo) e que pagasse bem. A Macron só tinha defeitos, não era conhecida, blá, blá e por aí fora. 

Nas últimas semanas o Sporting anuncia 2 patrocinadores: TachoEasy e a Herbalife. Tudo serve para quem não encontra nos resultados desportivos, para já, nos resultados financeiros, para já, uma desculpa para criticar a Direcção. 

A TachoEasy foi alvo de uma perseguição de um texto que andou pela blogosfera, onde 90% do estava escrito era sobre a GetEasy (que tinha passado por um processo de fusão ao adquirir a TachoEasy), e pouco ou nada sobre a TachoEasy. Todos os pressupostos eram relativos à GetEasy. Mas passou a mensagem e os que procuraram qualquer coisa para atacar, logo se agarraram a esse texto. Não confundir isto com o facto de terem anunciado uma determinada camisola e entregue outra na corrida do Sporting, isso é outro assunto.

Entretanto, a Herbalife foi anunciada como patrocinador do Sporting. Longe de mim defender uma empresa que há muitos anos está sob suspeita, mas que ainda assim não foi conseguido provar nada. Que o diga o Bill Ackman que no último ano gastou 50 milhões de dólares e ainda não sustentou a ideia que muitos de nós temos que a Herbalife assenta num esquema piramidal.

Queria muito que o Sporting tivesse patrocinadores sérios. Sem dúvida que queria!

Mas detesto a hipocrisia quando apenas serve para atacar desmesuradamente com intuito de atingir a Direcção. A hipocrisia chega a esse ponto. Não vejo a preocupação com o trabalho infantil na produção de equipamentos desportivos, nem com os esquemas fraudulentos (ao nível do que já se conseguiu provar com a Herbalife) de PTs ou BES. Esses dinheiros já serviam e ninguém contestava a sua origem!

Enfim...tudo vale para atacar e conseguir nem que seja por uma pequena fracção de tempo criar a sensação que a Direcção só faz asneiras, quando na realidade há outros assuntos bem mais importantes e que devem ser discutidos e analisados, e perceber os caminhos que têm sido seguidos, como por exemplo: o Atletismo ou até a formação!

Entretanto, já não há bilhetes em Alvalade para o jogo de amanhã!

segunda-feira, 27 de Outubro de 2014

Duque na Liga e um exemplo de mau Sportinguismo!

"[Luís Duque] Não foi indicado por FC Porto ou Benfica mas nós aceitámos porque estava no perfil que tínhamos idealizado"
Pinto da Costa

É engraçado como as coisas mudam. Deixava-me muito irritado no passado, com a Direcção anterior, a subserviência ao Porto e os negócios que constantemente queriam fazer (e fizeram). Chegava a ser doentio e sempre me bati contra isso criticando essa forma de liderar o nosso clube.

Na altura, lembro-me bem de falar com Benfiquistas sobre isso, de alguns perguntarem-me o que achava dessa forma de estar, por exemplo, de Godinho Lopes, e o uso da expressão "Santa Aliança"!

Hoje vejo o Presidente do Porto "falar pelo Benfica" sobre um antigo Dirigente do Sporting, que recebia milhares quando o clube estava a financeiramente muito mal, a disputar em tribunal indemnização de vencimentos chorudos acertados com Godinho, e que, decide não receber salário na Liga porque esta está em situação de falência!

Como o futebol português está a mudar nos últimos meses...

Sporting de Espinho - Sporting Clube de Portugal na Taça

imagem: via @bhavin


O Sporting vai a Espinho no próximo dia 21 ou 22 de Novembro em jogo a contar para a quarta eliminatória da Taça de Portugal.

Sporting 4-2 Marítimo :: Stromp estaria muito orgulhoso!

Stromp estaria muito orgulhoso do trabalho da equipa ontem em Alvalade!

Depois de uma intensa jornada na Alemanha, claramente prejudicados por uma arbitragem manhosa, estava tudo na expectativa de perceber como iria o Sporting reagir à adversidade e conseguir vencer pela segunda vez consecutiva no campeonato.

A resposta foi brilhante pelos três golos iniciais, pela reação à aproximação do Marítimo no marcador, pelo apoio constante do público e pela qualidade de jogo da equipa.

Foi um jogo de pormenores. Muitos e que fazem a crónica desta partida.

Um Nani endiabrado e que Marco Silva não quis poupar mesmo sabendo que um amarelo o deixava de fora contra o Vitória em Guimarães. A qualidade do seu futebol, que ainda foi dúvida para muitos, é neste momento o motor do Sporting. E quando se vê o Manchester United jogar esta época de forma tão arbitrária, dá para ficar a pensar, "ainda bem que o fomos buscar".

Carrillo continua a assistir e desequilibrar. Alvalade, finalmente, até porque estamos perante a melhor época do peruano, ovacionou-o no momento da sua substituição. 

O terceiro golo tem um sabor especial. Quando Paulo Oliveira assinou pelo Sporting, no meu juízo de adepto e treinador de bancada, pensei que seria uma contratação de qualidade. O jovem jogador tinha estado a uma bom nível no Vitória SC, seleccionável e com margem de progressão. Experiência em palcos europeus, pequenos é certo, e acima de tudo uma garra incrível.

O golo que ontem marcou, mesmo à minha frente, permitiu ver a emoção do jogador ao marcar com a nossa camisola, o libertar de um peso que certamente trazia desde que chegou a Alvalade. Aos poucos vai conquistando o seu espaço e a alegria que demonstrou no momento do golo é típico de quem passou por um clube onde se come a relva e nunca se desiste. O Paulo mereceu muito aquele momento!


Com Slimani fora por lesão, as atenções viram-se para Montero. O colombiano é dotado de uma técnica bem acima de média. Não está na sua melhor forma? Claro que não, e nós sabemos disso porque já o vimos a marcar de forma consecutiva. Mas cabe-nos continuar a apoiar pois sabemos das suas qualidades. Na primeira parte aquele "chapéu" teria levantado o estádio, na segunda, com a camisola Stromp vestida marcou um fantástico golo que deliciou os 38 mil (e 10 bravos adeptos do Marítimo) que estavam em Alvalade!

João Mário a certeza, classe e o talento. William a recuperar a forma e Adrien a levar a maior manifestação de entusiasmo por parte dos adeptos. Capel alegre em campo, Tanaka na luta por uma oportunidade mais concreta. Maurício, Patrício, Jonathan Silva e Cédric na alegria de uma equipa que está claramente a subir de rendimento.

O jogo não acabou sem que Alvalade recebesse Miguel Lopes como só nós sabemos receber: muito bem! Um processo que foi tratado de forma cuidada, longe dos holofotes das comunicação social e que permitiu ao jogador entrar na equipa com entusiasmo e pronto a lutar por um lugar no onze.

Palavra final para Marco Silva que aos poucos vai mostrando que o seu trabalho no Estoril não foi fruto do acaso, pelo que tem feito no Sporting e pelo que vê fazer actualmente no clube da linha!

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Os ricos mandam e a UEFA obedece!



"The Champions League is, therefore, a battle of resources. Those teams with the most money and the highest concentration of big players on their wage bills will win. The current status quo is for the best teams in Spain, England and Germany, as well as Italy and France, to consolidate the wealth gap between themselves and the have-nots."

A definição perfeita da Liga de Campeões por Peter Stauton. Não é novidade, o actual futebol, o que conta a nível financeiro é dominado pelos grandes clubes que na realidade quase sempre são os mais fortes na folha de pagamentos mensais.

O que aconteceu ao Sporting na terça feira passada, aconteceria com quase toda a certeza a outros clubes portugueses e de menor dimensão. Incomoda muito que Portugal ocupe uma posição tão relevante nos rankings da UEFA. Imagino que para os magnatas russos que investem na Rússia ou em França, lhes faça muita confusão gastar tanto dinheiro e depois no campo perderem ou continuarem atrás.

A questão no escandaloso jogo do Schalke contra o Sporting levanta outras questões que a UEFA não responde, nem está interessada em responder com vista à credibilização do futebol. A Gazprom patrocina o Schalke e ao mesmo tempo a Liga dos Campeões.

Afinal há ou não conflito de interesses em patrocinar um clube e ao mesmo tempo a competição em que esse clube é interveniente?

Afinal a UEFA está ou não preocupada com a sua reputação, as acusações que lhes são feitas, decorrentes desse relacionamento?

A UEFA não vai responder. Não quer saber e tudo continuará da mesma forma porque os ricos mandam, e a UEFA obedece!

O Sporting bem pode e deve fazer o que lhe compete e contestar a arbitragem de terça feira passada. Duvido que alguém lhe ligue. Infelizmente!

Da nossa parte, o adepto irracional, que apenas quer 90 minutos de futebol, ilusão, amor à camisola, só pode agradecer e manifestar-se das formas possíveis em relação a tudo isto.

No domingo encher Alvalade devia ser uma obrigatoriedade. A equipa merece pelo esforço que fez durante os 90 minutos na Alemanha. São as tais derrotas, que apesar de tudo, os adeptos compreendem o esforço e a dedicação dos jogadores.

Na quarta feira, 5 de Novembro, quando recebermos o Schalke só podemos e devemos, mais uma vez, mostrar a nossa indignação mostrando à UEFA que não nos esquecemos do "roubo" na Alemanha e aproveitar que a competição, e o jogo, têm uma cobertura mediática muito forte e passar a mensagem que sabemos perfeitamente que a UEFA está intimamente ligada a uma determinada "máfia", seja Russa, Francesa ou de outro país com uma vantagem financeira obscura de enorme dimensão!

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Schalke 04 4-3 Sporting :: não nos deixaram fazer mais!

Orgulho, imenso orgulho neste Sporting de Marco Silva. Disse isto com 70 minutos decorridos de jogo, independentemente do resultado final. O Sporting, este Sporting que já tinha nos presenteado com uma excelente exibição no Dragão, mostrou uma garra imensa, enorme, sem nunca virar a cara à luta, lutando até ao final onde as forças permitiram e o árbitro deixou!

Não gosto de vitórias morais. Não as procuro, não me refugio nelas, não tenho falado dos árbitros esta época.

O Sporting apresentou-se ao mais alto nível na Alemanha, onde nunca venceu para as competições europeias. Começou a dominar o jogo, marcou um golo, colocou-se em vantagem. Foram 25 minutos de bom futebol, onde ficou demonstrado que tínhamos equipa, e futebol, para discutir os 3 pontos com a dupla Schalke 04 e as condutas de gás da Rússia.

Em poucos minutos a estratégia de Marco de Silva teve de ser repensada. Slimani lesionou-se, Maurício foi expulso e sofremos o golo do empate num lance que Patrício falhou. Com uma hora de jogo pela frente e apenas 10 jogadores tudo se complicou.

As complicações poderiam ter ficado pela inferioridade numérica, do nosso lado, mas agravaram-se pelo superioridade numérica que os alemães passaram a ter em campo. De um jogo controlado em que vencíamos por 1-0 de 11 contra 11 jogadores, passamos para uma igualdade no resultado e um jogo de 10 contra 14 "jogadores".

Foi duro e a agonia aumentou com início da segunda parte e o resultado em 3-1. Mas a equipa tem coração, não desiste e soube honrar a camisola que veste. Foi à procura do prejuízo e mesmo com 10 jogadores ficou a sensação que ainda nem tudo estava perdido. Adrien bisou, primeiro reduziu de grande penalidade e depois empatou o jogo de cabeça, gelando a Arena de Gelsenkirchen.

Um empate que poderia não ser um bom resultado pelo que o Sporting produziu nos primeiros 25 minutos, podia agora ser um escape das vicissitudes do jogo e das manhas que estavam a acontecer-nos e que ainda não tinham atingido o seu ponto mais alto.

Aos 93 minutos, um árbitro de baliza, ou lá como raio se chamam, que estava de frente para o lance que ditou a grande penalidade da vitória do Schalke, não quis ver de forma intencional que a bola não foi à mão de Jonathan Silva, elevando para um novo patamar o conhecimento de anatomia humana.

Perdemos, ninguém nos vai ressarcir dos prejuízos financeiras, mas ficou uma excelente imagem da prestação do Sporting.
O que se pode pedir em relação à nossa equipa? Encher Alvalade no próximo domingo!

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

O Sporting quer, os outros não!


O Sporting tem pugnado pela limpeza no futebol nacional. 

O Sporting apresentou propostas à FPF, na AR, ao Presidente da República, colocou-as no jornal do clube apresentado-as aos sócios/adeptos.

O Sporting nunca deveria ter apoiado o Mário Figueiredo.

O Sporting não se pode sentar à mesa, nem no mesmo salão, com gente que tanto prejudicou o futebol português.

O Sporting nunca iria apoiar Luís Duque.

O Sporting nunca iria aceitar lugares automáticos na Direcção da Liga.

O Sporting quer mudanças, outros querem continuar agarrados ao passado.

O Sporting, provavelmente, vive numa utopia, mas está de consciência tranquila!

O Sporting quer mudar o rumo do futebol português, cabe aos outros seguirem-no e não o contrário!

domingo, 19 de Outubro de 2014

Schalke 04 - Sporting :: convocados

Heldon entra para a lista dos convocados do Sporting que irão partir para a Alemanha. No jogo diante do Schalke 04, Miguel Lopes que integrava os convocados para o Dragão teve de sair por não estar inscrito na competição.

Convocados
Rui Patrício e Marcelo Boeck;
Cédric, Maurício, Paulo Oliveira, Sarr, Jefferson e Jonathan Silva;
William Carvalho, Rosell, Adrien, João Mário e André Martins;
Carrillo, Carlos Mané, Nani, Capel, Heldon, Montero, Tanaka e Slimani.

sábado, 18 de Outubro de 2014

Porto 1 - 3 Sporting :: fomos enormes!


Obrigado, fomos enormes. Sim, todos. Adeptos, jogadores, equipa técnica e direcção estamos de parabéns por uma vitória absolutamente fantástica. O Sporting segue em frente na Taça de Portugal com inteira justiça, num jogo dominado pela nossa equipa.

A segurança foi o tema mais debatido durante a semana. Quiseram fazer de Bruno de Carvalho um vilão. O Porto respondeu com uma "jaula" de segurança. O futebol moderno está cada vez mas para isso. Em parte somos culpados, todos. E agora temos de entrar no jogo. Na Luz e no Dragão atiram-nos para os piores lugares dos estádios, não creio haver razão para não fazermos o mesmo.

A "jaula" que hoje nos destinaram no Dragão não estava dimensionada para os 4 mil Leões que se deslocaram ao estádio. Condições de terceiro mundo num estádio de "Euro". Não era difícil prever, quem conhece o estádio percebia logo mal entrasse no bancada que nos estava destinada. Numa pequena conversa com um steward bastou um "claro que foram vendidos mais bilhetes que os que cabem aqui". E assim vai o futebol nacional!

Mas isso não demoveu a crença e determinação que os adeptos que hoje estiveram no Dragão tinham na equipa e na vitória. Acredita-se muito no trabalho que está a ser efetuado por Marco Silva. Mesmo sendo uma equipa de tostões quando comparada com os fundos de milhões que vestia de azul e branco e que estava do outro lado da barricada.

O Sporting começou bem e com 30 segundos de jogo já a bola batia no poste de Andrés Fernandez. Era mote que a equipa necessitava, estava dado o pontapé inicial que nos levaria à vitória final.

Foram 4 alterações que Marco Silva efetuou com a entrada de Paulo Oliveira (ao lado de Maurício), Capel na esquerda, Jonathan Silva a defesa esquerdo e Montero na frente.

O meio campo leonino rapidamente começou a tomar conta do jogo. William Carvalho imperial, João Mário a passos largos de se tornar um indispensável do Sporting e Adrien a comandar as tropas. Nani começou bem cedo a mostrar porque é, indiscutivelmente, um dos melhores jogadores a actuar no nosso campeonato. Técnica incrível com a bola no 1 contra 1, sempre a procurar espaços para o golo, foi uma das melhores exibições individuais de um jogador do Sporting no estádio do Dragão. Qualidade, criatividade e golo.

À passagem da meia hora surge o primeiro do Sporting. Erro defensivo do Porto e um auto golo de Marcano que estava a ser pressionado por Montero. O Sporting começava a traduzir em golos o domínio na partida.

O problema passa sempre por manter a vantagem o mais tempo possível. O Porto iria reagir e era necessário que a defesa não falhasse num momento tão importante como este de estar à frente no marcador. Mas foram precisos apenas 4 minutos para o empate ser restabelecido numa grande abertura de Quintero para Jackson que Patrício não defendeu. A única que conseguiu passar a linha de golo da baliza defendida pelo nosso guarda redes.


Que fibra tem este Sporting? No Dragão, depois de sofrer o empate e num ambiente sempre adverso, reagiu e não foram precisos 4 minutos, novamente, para Nani, assistido por Montero, marcar um golão de levantar o estádio. Pelo menos os 4 mil que estavam de verde e branco.

O intervalo chegou com a vantagem justa no marcador.

A segunda parte iria ser uma incógnita, pelo menos era o que eu pensava. Lembrei-me do jogo do campeonato e da forma como o Porto entrou em Alvalade para os segundos 45 minutos. Não aconteceu!

O Sporting estava implacável. No meio campo a fechar, a partir para o contra ataque, na defesa a controlar, menos quando Jackson em fora de jogo arranca uma grande penalidade a Maurício.

Das bancadas, porém, só se ouvia "Patrício vai defender". A confiança dos adeptos em Rui Patrício é absolutamente incrível. Atirou-se para o seu lado direito e a explosão de alegria foi enorme. Estava vingada a palhaçada dos papéis do ano passado e dos agradecimentos irónicos que no ano passado sofreu naquele mesmo estádio. 

O Sporting continuava na frente do marcador.

Marco Silva começou a mexer na equipa, Slimani primeiro, Carrilo mais tarde. Convinha não esquecer que o jogo era a eliminar e poderia haver o risco de prolongamento. Mas o Sporting não estava para isso. Imperial a trocar a bola, seguro, incisivo, a dar um autêntico festival de bem jogar na segunda parte. O 3-1 surgiu com naturalidade, o vencedor da noite estava encontrado. Deu para entrar Rosell para segurar a qualificação.

Os últimos 7 minutos no Dragão, mais 3 de descontos, são absolutamente épicos. Povo azul e branco a abandonar o estádio ao som de adeus leoninos, os olés de uma equipa forte e controladora, com um pouco mais de calma e o resultado tinha sido estrondoso e o final apoteótico de uma vitória inteiramente justa com todos a abraçarem-se brindando a equipa com uma estrondosa salva de palmas!

Venceu e convenceu. Lutou-se até à exaustão e acreditou-se sempre que era possível seguir em frente na Taça de Portugal. Hoje como já se acreditava desde o dia em que as bolas da sorte ditaram este clássico no Dragão.

Com mais de 35 minutos fechados no estádio, por razões naturais de segurança, eis que Bruno de Carvalho aparece, como já tinha feito na última vez quando perdemos para o campeonato, a saudar os milhares de adeptos leoninos.

Formos enormes e nunca uma vitória assentou tão bem com hoje. Obrigado Leões!

Equipa de tostões de Carvalho elimina a dos milhões Do Costa!



Obrigado, fomos enormes!