domingo, 5 de março de 2017

Os próximos 4 anos de Bruno de Carvalho!


Bruno de Carvalho venceu as eleições mais concorridas do Sporting mantendo-se na Presidência do clube. Num resultado absolutamente esmagador, histórico no número de votantes, sendo batido o recorde de 1988 na eleição de Jorge Gonçalves, não há margens para dúvidas da escolha dos sócios para continuar a dirigir o clube.

É pelos resultados que devemos começar a falar sobre os próximos 4 anos. Já o referi, durante estes últimos dias da campanha, e noutras intervenções, tanto no blogue como no #Sporting160, que Bruno Carvalho merecia ser eleito pelo trabalho realizado desde o momento em que pegou no clube que estava perto da falência, com salários em atraso, um PER em curso e sem capacidade para realizar a reestruturação financeira.

Não vou repetir todos os momentos importantes destes 4 anos, mas, não posso deixar de realçar a reestruturação financeira executada, a compra de mais de 30 passes de jogadores para as melhores vendas de sempre do clube, o regresso em força das modalidades e o pavilhão.

Claro que no futebol não tivemos os resultados pretendidos. Não há dúvidas e Bruno de Carvalho sabe disso. Não pode passar outro mandato sem conquistar o título de campeão nacional em futebol masculino. Esse objectivo é eliminatório, ou seja, no próximo mandato se não o conseguir, obviamente terá de dar lugar a outro!

Os desafios que tem pela frente são hercúleos. 

Futebol
Já o referi em cima, é absolutamente fundamental conquistar o título masculino. Não vale a pena dar voltas e mais voltas. Com o melhor treinador nacional, na minha opinião, com um equilíbrio financeira e aposta na formação certa, há matéria prima com as contratações cirúrgicas para colocar a equipa a lutar pelos títulos. Foi assim na época passada, infelizmente não aconteceu nesta, principalmente por falta de planeamento, por ter acontecido tarde em função das vendas e pelo descalabro na aquisição de alguns jogadores. O futebol é o sangue que corre nas veias do Sporting, sem ele, morremos!

Comunicação
Percebo o #bardamerda, era destinado a certos comentadores, no entanto, não é necessário e espero, sinceramente, que seja o último momento desta natureza e que o novo mandato traga alterações a este nível.

A vitória foi avassaladora e como tenho dito nos últimos meses, a comunicação a nível que a deixe para outros. Ou então, simplesmente que os ignore. 
Prefiro, mil vezes, ver a elevação e a qualidade de comentário como o Carlos Padrão fez ontem na Sporting TV. Aquilo é o Sporting que espero e me foi passado pelo meu avô!

Sócios
Houve durante a campanha eleitoral, e depois de saírem os cadernos eleitorais, Sportinguistas que não percebem a natureza do clube. Só podiam votar perto de 45 mil sócios e rapidamente vieram logo comparar com os 150 mil sócios. Gostámos de ser masoquistas.

Durante o anterior mandato, também de Bruno de Carvalho, foram efectuadas alterações importantes ao nível das categorias de sócios. Só podem votar nas eleições, maiores de 18 anos, 1 ano seguido de quotas e depois é preciso perceber a categoria. Os da A e B ao fim de 1 ano já votam, os da categoria C só têm votos ao fim de 4 anos e os da categoria D só ao fim de 8 anos. Além disso é preciso ter quotas em dia e como sabemos, em Portugal, é fácil tornar-se sócio mas depois manter as quotas em dia não é para todos.

Cabe portanto, aos sócios, um papel importante nos próximos 4 anos, de acompanhamento e investimento dentro das capacidades financeiras possíveis para cada um.

Marketing, Expansão da Marca
Há muito para fazer, sempre. No marketing, offline e online, mais ou menos digital, há sempre caminhos que podemos percorrer. Mas a expansão da marca e o seu crescimento está intimamente ligado aos resultados desportivos. Não há volta a dar. Com o sucesso dos resultados desportivos, vêm novos aliciantes financeiros associados a essas conquistas. 

Se nos 4 anos anteriores houve espaço para crescer o patrocínio, seja com a Macron, ou com a NOS, pelo equilíbrio que Bruno de Carvalho trouxe ao clube, agora, mais que nunca, os resultados desportivos são essenciais. As vitórias finais não podem ser utopias!

Financeiro
O ano 2026 está aí ao virar da esquina e é preciso continuar com a cabeça bem orientada para esse objectivo. Nós, sócios e adeptos, devemos continuar a ser vigilantes e esmiúçar todos os Relatórios e Contas que o clube apresenta e estar a par de todas as AGs para que área Financeira do Sporting perceba que não se pode desviar dos principais objectivos do clube nesta área nos próximos 4 anos: manter a maioria do capital da SAD, equilíbrio das contas com resultados operacionais positivos e transparência!

Formação
Na formação e na equipa B elevar o pragmatismo e consolidar a posição de principal escola do futebol nacional e das melhores a nível mundial. Educar e formar atletas que perceberão que com trabalho terão sempre uma oportunidade na equipa principal do Sporting.

Se vamos ter novidades ao nível da direcção da formação e/ou director desportivo no futebol profissional, não sabemos, vamos ter de esperar pelo final da época para perceber se há um novo caminho. É das áreas que mais dúvidas ainda mantenho. Pelo que representa no clube, pelo que tem acontecido no último ano.

Modalidades
O investimento, principalmente desde o meio do mandato anterior foi elevado. Os resultados estão à vista essencialmente no Atletismo, uma máquina de títulos, no futsal que tem sido coerente com os últimos anos e agora é preciso que hóquei e andebol sigam esta medida de sucesso.

Claro que não podemos esquecer as restantes quarenta e tal modalidades, que, na globalidade, tem correspondido ao nível que é exigido no Sporting.

O pavilhão João Rocha vai ser inaugurado em breve e é preciso que desde a sua fundação se crie uma história de vitórias e sucesso homenageando aquele que foi o Presidente "fundador" do Ecletismo. 

Para já ficam estas ideias base, haverá ainda tempo, em breve, para novas reflexões.

VIVA O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!

1 comentário:

T W disse...

A guerrilha comunicacional vai ter que continuar. Não deve é ser efectuada pelo presidente. Infelizmente o Sporting que o seu avô lhe deixou não ganha títulos em Portugal